Seguro Viagem

Seguro viagem é necessário? Conheça 7 bons motivos para contratar

Se você se pergunta por quais motivos um seguro viagem é necessário, está no lugar certo. Reunimos neste artigo todas as informações necessárias que explicam a importância de contar com este serviço quando se está longe de casa.

COMPARADOR SEGURO VIAGEM

Faça uma cotação sem compromissos e conheça todas as opções disponíveis e preços de seguro para a sua viagem. Garantimos o melhor preço aos nossos leitores.

O seguro viagem é uma espécie de plano de saúde completo que garante atendimento médico e odontológico emergencial durante a vigência do contrato. O viajante pode ser atendido de graça na rede conveniada da seguradora ou solicitar o reembolso de todas as despesas depois – inclusive de medicamentos receitados.

O seguro é contratado de acordo com o destino e o número de dias da viagem, considerando o perfil de cada cliente. Além disso, o seguro viagem é necessário porque também oferece outros tipos de apoio em casos de imprevistos na viagem. Seja extravio de bagagem, mala danificada, perda de documentos e outras situações.

Há, portanto, inúmeras razões para colocar o seguro viagem no seu checklist de viagem, tão prioritário quanto outros documentos que irá levar. Confira a seguir os principais benefícios e, no final, quanto custa este serviço e como ganhar um desconto especial do Seguro Viagem Pro.

Seguro viagem é necessário: conheça 7 boas razões

1. O seguro viagem é exigido em vários países

Sim, em vários destinos é exigida a apresentação do seguro viagem na imigração, autorizando a entrada no país. Imagine chegar ao seu destino – depois de horas de voo, tantas expectativas e muito planejamento – e ser impedido de prosseguir.

Em Cuba, o governo exige dos turistas de todas as nacionalidades um seguro viagem emitido por uma empresa cubana. A Venezuela é outro exemplo: o seguro viagem é necessário para entrar no país e deve ter cobertura mínima de USD 40 mil, além de seguro para as bagagens de pelo menos USD 1 mil. Já o Equador, exige o seguro desde 2018, mas não há indicação de cobertura mínima.

Na Austrália, o seguro viagem só é obrigatório para estudantes, para turistas não (apesar de ser expressamente indicado pelo Governo Australiano e pelo Itamaraty).

Tratado de Schengen

Na Europa, por exemplo, mais da metade dos países do continente integram o Acordo ou Tratado de Schengen. Ele torna obrigatório aos brasileiros a apresentação de um seguro viagem que garanta a cobertura mínima de 30 mil euros para despesas médicas. Saiba mais sobre seguro viagem Europa e confira a lista de países em que ele é necessário:

  • Alemanha;
  • Áustria;
  • Bélgica;
  • Dinamarca;
  • Eslováquia;
  • Eslovênia;
  • Espanha;
  • Estônia;
  • Finlândia;
  • França;
  • Grécia;
  • Hungria;
  • Islândia;
  • Itália;
  • Letônia;
  • Liechtenstein;
  • Lituânia;
  • Luxemburgo;
  • Malta;
  • Noruega;
  • Países Baixos;
  • Polônia;
  • Portugal;
  • República Checa;
  • Suécia;
  • Suíça.

Confira neste artigo a lista completa de países que exigem o seguro viagem.

2. A assistência médica não é garantida a turistas brasileiros gratuitamente

Nem mesmo o Itamaraty pode se responsabilizar pelos cuidados de saúde e acompanhamento de todos os brasileiros fora do país, especialmente por motivos financeiros e logísticos. Consulte este artigo do Ministério das Relações Exteriores no portal oficial sobre saúde do viajante. Então, não há dúvidas do quanto o seguro viagem é necessário em todas as situações.

Normalmente, os sistemas de saúde pública de outros países não rejeitam o atendimento ao turista estrangeiro. Contudo, em boa parte dos casos, nem sempre o acesso rápido é garantido em uma emergência. Também podem existir barreiras de comunicação devido ao idioma nestas situações. E, ainda, os custos dos procedimentos podem ser altíssimos.

Em poucas situações é garantido o atendimento do brasileiro pela saúde pública – que não é necessariamente gratuita – em outros países. Entre as exceções estão Cabo Verde, Portugal e Itália, que possuem acordos bilaterais com o Brasil e garantem o atendimento ao brasileiro que possua o Certificado de Direito à Assistência Médica. Saiba se o CDAM substitui seguro viagem neste artigo.

Seguro viagem é necessário para custear procedimentos médicos

Nenhum viajante está livre de acidentes e doenças, infelizmente. Se o caso for grave, os custos podem ser extremamente elevados em outros países. E a economia em não contratar o seguro viagem pode significar um grande problema.

Faça uma cotação de Seguro de Viagem. Garantimos o melhor preço

Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o menor preço do mercado em seguro de viagem.

Faça uma cotação online sem compromissos e confira as várias opções de seguro para o seu próximo destino.

FAZER COTAÇÃO »

Para se ter uma ideia, no site Euro Dicas há uma lista completa dos principais custos de saúde na Europa e em outros países. Os dados são da International Federation of Health Plans (IFHP) e apresentam valores como:

Custo de uma diária em hospital:

  • Estados Unidos: USD 5.220;
  • Nova Zelândia: USD 2.142;
  • Espanha: USD 424.

Valor de uma ressonância magnética:

  • Estados Unidos: USD 1.119;
  • Reino Unido: USD 788;
  • Austrália: USD 215.

Parto normal:

  • Estados Unidos: USD 10.808;
  • Suíça: USD 7.751;
  • Austrália: USD 5.312.

Tudo isso normalmente é coberto por um seguro, que reembolsa os gastos ou viabiliza o atendimento gratuito em algum hospital conveniado. Mais um motivo pelo qual o seguro viagem é necessário.

3. Planos de saúde brasileiros normalmente não valem no exterior

Antes de viajar, claro que vale a pena confirmar com seu plano de saúde se ele contempla alguma assistência fora do seu estado e fora do Brasil.

Há empresas que permitem ampliar a cobertura, com o pagamento de uma taxa extra. Ainda assim, o plano cobre apenas gastos relacionados à saúde, como atendimento de emergência, consultas, internação. Se for preciso um traslado médico ou até mesmo o traslado de corpo ou indenizações por falecimento ou invalidez, o plano de saúde não costuma auxiliar. E o seguro de viagem sim, faz a cobertura completa.

4. O seguro viagem oferece proteção à bagagem

A Sita é o órgão internacional que monitora o manuseio de bagagens em todo o mundo. Eles afirmam que o número total de malas perdidas ou mal manuseadas foi de 24,8 milhões em 2018. A estatística caiu, mas continua alta, como mostra esta reportagem do G1.

Esta é uma das principais razões pelas quais o seguro viagem é necessário. Eles auxiliam na localização da bagagem e, a depender da situação, reembolsam gastos imediatos com despesas de higiene pessoal e uma indenização.

5. O seguro oferece serviço de repatriação

Poucas pessoas conhecem as apólices dos seguros viagem e o quanto elas são abrangentes. Há uma série de coberturas que os viajantes nem imaginam. Muitas empresas reembolsam as diárias de hospedagem adicionais, quando o viajante tem algum problema de saúde e recebeu esta recomendação médica.

Também há casos em que, após a emergência médica, o viajante não tem condições de retornar como passageiro comum ao país. Será preciso de um regresso sanitário, também coberto na apólice. Outra cobertura fundamental, para quem questiona se o seguro viagem é necessário, é o traslado de corpo, em caso de falecimento do viajante. Se ele deixou um menor de idade no local da viagem, o seguro também costuma providenciar o acompanhamento do menor.

6. Atendimento em português e outros benefícios

Coloque-se no lugar de um viajante em um país do qual ele não domine o idioma. Durante uma situação grave, como irá explicar o que aconteceu, dizer o que sente e conseguir ser atendido?

O seguro viagem é necessário principalmente nestas horas, pois normalmente disponibiliza atendimento imediato em português. Ele já consegue acionar sua rede no país e garantir todo o suporte para que o viajante receba toda a assistência da forma mais tranquila.

Em situações mais agradáveis, em que o viajante gostaria de reservar uma mesa em restaurante, saber a previsão do tempo ou ter mais informações sobre o destino de viagem, o seguro também pode ajudar. Muitos planos incluem serviços de concierge, que podem facilitar bastante a vida.

7. O seguro viagem é necessário especialmente para alguns perfis de viajantes

Diversos viajantes podem contar com coberturas especiais dos seguros viagem. Há planos com foco na saúde de idosos e outros que são mais vantajosos para gestantes, por exemplo. Outros garantem atendimento a quem tem condições e doenças preexistentes.

Para um estudante que vai fazer um intercâmbio, também há opções com serviços e durações estendidos. Algumas apólices incluem benefícios para executivos, como o envio de um substituto para uma reunião importante em caso de emergência.

Quanto custa um seguro viagem?

Certamente você se convenceu da importância de um seguro viagem neste artigo. Trazemos ainda um outro argumento de peso: o seguro viagem é barato, não pesa no orçamento da sua viagem. A partir de R$10 reais por dia de viagem já é possível contratar um plano bastante completo para a Europa, para se ter uma ideia.

Nossa sugestão é dar uma olhada nos valores e opções de seguro viagem utilizando o nosso comparador de seguros. A própria Equipe Seguro Viagem Pro desenvolveu esta plataforma, que mostra em poucos segundos os planos com o melhor custo-benefício para o seu perfil.

Outra opção, se você preferir, é fazer a cotação no Portal Seguros Promo. Este é um site comparador que nossa Equipe sempre recomenda.

Oferecemos desconto

O melhor é que os leitores Seguro Viagem Pro podem receber até 10% de desconto. Basta aplicar o nosso cupom de desconto SVP5 na parte de pagamento e receber 5% de desconto direto. Se realizar o pagamento com boleto bancário, a redução é de mais 5%, totalizando 10%.

Estas condições são válidas no nosso comparador de seguros e no portal Seguros Promo. Não deixe passar essa oportunidade!

Saiba mais: 

Luciana Andrade

Luciana Andrade é jornalista, doutora em história, cursa especialização em marketing digital e não cansa de aprender coisas novas. À frente da Flows Conteúdo & Comunicação, escreve para diversos sites e clientes corporativos. Já morou em cinco cidades - no Brasil e na França - e está sempre planejando a próxima viagem.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo