CoberturasSeguro Viagem

Confira os 8 documentos para viajar que você vai precisar

Destino escolhido, passagens compradas, só falta arrumar as malas e separar os documentos. Mas sempre bate a dúvida, quais documentos são importantes para viajar? Alguns são obrigatórios, outros recomendados, mas é sempre bom checar a lista de documentos para viajar antes de embarcar. Confira.

COMPARADOR DE SEGURO VIAGEM

Faça agora a cotação e conheça as melhores opções de seguradoras e planos para a sua viagem. Encontre o melhor preço.

Documentos para viajar: o que você precisa saber

Antes de viajar, você precisa saber que uma série de documentos podem ser solicitados pela imigração do país visitado. Por isso, ter informação é fundamental.

Providencie os documentos para viajar solicitados em cada destino e, ao chegar ao país, apresente-os, quando solicitados pelas autoridades de fronteira.

Onde encontrar informação confiável?

Para saber mais sobre as exigências de documentos para viajar de cada país, você pode acessar o Portal Consular do Itamaraty, na seção “Seu destino”.  Lá, você digita o nome do país e confere dicas de segurança, documentação necessária e recomendações de viagem.

1. Passaporte válido

Com o passaporte, você pode viajar para todos os países do mundo, em muitos casos sem a necessidade de visto (falaremos disso mais adiante). Os brasileiros também podem, de posse do passaporte, pedir assistência consular à rede de Embaixadas e Consulados do Brasil em outros países.

O passaporte brasileiro tem duração de 10 anos, exceto aqueles emitidos antes de julho de 2015, com validade de cinco anos, mas que permanecem válidos até a data de sua expiração.

Para menores de idade, a validade é diferenciada:

  • De 0 a 1 ano de idade incompleto: 1 ano de validade;
  • De 1 a 2 anos incompletos de idade: 2 anos de validade;
  • De 2 a 3 anos incompletos de idade: 3 anos de validade;
  • De 3 a 4 anos incompletos de idade: 4 anos de validade;
  • De 4 a 18 anos de idade incompletos: 5 anos de validade.

A emissão do passaporte é de responsabilidade da Polícia Federal. No exterior, em caso de perda ou extravio, quem é responsável pela emissão de novo passaporte são as repartições consulares do Itamaraty.

2. Visto

O visto também está na lista dos documentos para viajar mais importantes. No portal do Itamaraty, é possível conferir a relação de todos os países que exigem ou não visto dos brasileiros. A informação também pode ser consultada nas embaixadas e consulados.

Se o seu objetivo for estudar ou trabalhar no país de destino, informe-se e tome as medidas necessárias para obter o visto adequado, ainda no Brasil ou assim que chegar ao país. Ao permanecer com visto incorreto, você poderá ser preso e deportado.

Importante: o visto, por si só, não garante a entrada no país de destino. O Itamaraty recomenda: “A decisão final sobre sua entrada somente é dada no ponto de entrada pela autoridade de imigração. É decisão soberana de todo país aceitar ou não a entrada de cada estrangeiro no seu território. A desconfiança sobre os reais motivos da ida ao país é motivo suficiente para não permitir a entrada do estrangeiro. Adote sempre tom respeitoso e evite cair em contradições nos contatos que porventura mantenha com as autoridades estrangeiras”.

3. RG

O RG é um documento válido para embarque em voos domésticos, o que também pode ser feito com documentos oficiais com foto, como habilitação de motorista, carteira de conselho ou federação profissional, ou carteira de trabalho.

E também para voos internacionais se o destino da viagem for um dos países pertencentes ao Mercosul ou países que possuem acordo de viagem com o Brasil. São eles: Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

documentos para viajar fronteira

4. Autorização de viagem para menores de idade

De acordo com a resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), não é preciso autorização judicial para menores nas seguintes situações:

  • Se o menor viaja na companhia de ambos os genitores ou responsáveis legais;
  • Se o menor viaja em companhia de um dos genitores ou responsáveis legais, desde que haja autorização do outro, com firma reconhecida;
  • Se o menor viaja desacompanhado ou em companhia de terceiros maiores e capazes, designados pelos genitores ou responsáveis legais, desde que haja autorização de ambos os pais (ou responsáveis legais), com firma reconhecida.

A Polícia Federal possui um Manual de Viagem de Menores Brasileiros ao Exterior, com todas as informações sobre o embarque de menores.

5. Seguro viagem

Esse item é fundamental para que sua viagem corra bem e em segurança. O Itamaraty afirma: “Recomenda-se vivamente que viajantes brasileiros sempre contratem seguro internacional de saúde adequado, mesmo que tal documento não seja exigido pelas autoridades migratórias locais”.

A seguir apresentamos algumas razões pelas quais você nunca deve embarcar sem fazer um seguro viagem:

Todo mundo está sujeito a acidentes e doenças

Todos estamos sujeitos a doenças e emergências médicas. Estar assegurado vai te garantir orientação em português, 24 horas, sete dias por semana, sobre as melhores opções de atendimento médico na cidade em que estiver.

E os custos do atendimento estarão cobertos – ou em atendimento pela rede conveniada, ou via reembolso, caso seja sua opção.

Além disso, a saúde pública em muitos países não quer dizer exatamente gratuita. Em alguns lugares ela até é para todos, mas todos pagam pelo serviço. Porém, existem países que a rede pública é restrita apenas para a população local.

Quanto custa um seguro viagem?

O valor do seguro viagem é muito baixo em relação à segurança que ele proporciona. Existem planos que custam menos do que R$ 10 ao dia.

Para fazer uma rápida demonstração de quanto custa um seguro viagem, consultamos no comparador do Seguro Viagem Pro, uma indicação entre os melhores custos-benefícios para os seguintes destinos:

  • Brasil: AT 10 Brasil, da Assist Trip, com cobertura médica hospitalar de R$ 10 mil, R$ 30,35;
  • Europa: TA 40 Especial – Internacional, da Travel Ace, com 40 mil dólares de cobertura médica hospitalar, R$ 49,05;
  • América do Sul e Central: AC 35 Mundo, da Assist Card, com 35 mil dólares de cobertura médica hospitalar, R$ 61,15;
  • América do Norte: TA 40 Especial – América do Norte, com 40 mil dólares de cobertura médica hospitalar, R$ 52,85.

Observação: a consulta foi feita em outubro de 2019, sempre para cinco dias de viagem.

Quem precisa de seguro viagem

Todos os viajantes, mas em especial as pessoas com doenças pré-existentes, as gestantes, os idosos e aqueles que seguem para destinos de turismo de aventura.

Afinal, quanto maior a necessidade de cuidados médicos (ou quanto maiores os riscos atrelados às atividades que serão praticadas, como no caso dos esportes radicais), maior a necessidade de estar assegurado.

Seguro viagem é obrigatório em muitos países

Para alguns destinos, o seguro viagem não é uma opção. Ele é exigido, assim como passaporte e visto.

É o caso dos 26 países que fazem parte do Tratado de Schengen. São eles: Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Islândia, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Países Baixos, Polônia, Portugal, República Checa, Suécia e Suíça.

Para estes destinos, é exigida uma cobertura de despesa médica hospitalar de, pelo menos, 30 mil euros.

Na América Central, o seguro viagem Cuba é obrigatório e deve ter cobertura mínima de 10 mil pesos cubanos (ou dólares).

Na América do Sul, o seguro viagem Venezuela deve ter cobertura mínima de 40 mil dólares e seguro bagagem de no mínimo mil dólares. Já o seguro viagem Equador não estabelece cobertura mínima, mas sua contratação é também obrigatória.

Onde comprar seguro viagem

Nós recomendamos sempre o uso dos comparadores de seguro viagem, como o comparador do Seguro Viagem Pro e do Seguros Promo. Se você quiser ainda mais opções de comparadores, há o Real Seguro Viagem, o Compara Online e o Assistente de Viagem.

Com eles, você consegue comparar uma diversificada relação de seguradoras e planos, até escolher o que melhor se encaixa no seu perfil de viajante e no seu perfil econômico.

Ganhe desconto no seguro viagem

Se optar por comprar via comparador do Seguro Viagem Pro, você ainda pode pagar 10% a menos. Para tanto, na página de pagamento do comparador do Seguro Viagem Pro, use o nosso código de desconto SVP5 e ganhe 5% na compra do seu seguro viagem.

Se quiser economizar ainda mais, pague no boleto bancário e ganhe mais 5% de desconto. Como os descontos são acumulativos você pode economizar 10% do valor total do seu seguro viagem. documentos para viajar garota

6. Certificado de Vacina Internacional

As exigências em relação às vacinas podem variar de um país para outro. Antes de viajar, verifique essas exigências na Embaixada ou Consulado do país para onde pretende ir e a necessidade do Certificado de Vacina Internacional.

De modo geral, as vacinas exigidas visam à proteção da população do país e não necessariamente a do viajante. Já as vacinas recomendadas visam à proteção do viajante. Por essa razão, nem sempre as vacinas recomendadas e as exigidas são as mesmas.

Vacinas contra difteria, tétano, hepatite B, sarampo, caxumba, rubéola e tuberculose são recomendadas para todo tipo de viagem. Em alguns países a vacina de febre amarela é exigida dos viajantes.

7. Passagem de retorno

Em alguns países, os agentes da imigração pedem para conferir a passagem de volta ao Brasil ou para outro destino que você viajará na sequência.

Isso pode acontecer em viagens de turismo, negócios ou de estudo. A ideia é garantir que a pessoa não ficará no país além do que o período permitido e que não fixará residência.

Faça agora a cotação do Seguro Viagem.

Em parceria com o Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o menor preço do mercado em seguro viagem. Cote e encontre as melhores opções de planos e seguradoras para sua viagem.

COTAR AGORA »

8. Comprovação monetária

Se os agentes da imigração quiserem, eles também podem exigir que você apresente recursos suficientes para o período de permanência.

Para alguns países, em viagens de estudo, é exigido um depósito bancário para demonstrar que o viajante tem recursos para manter-se no período que ficará no país.

Novamente, essas exigências mudam de país para país e você deve consultar o Portal do Itamaraty ou a embaixada do país de destino.

Mas, se for possível, por precaução, dentre os documentos para viajar você deve levar cópias de documentos que comprovem seus vínculos com o Brasil e razões para o seu retorno. Por exemplo: carteira de trabalho, comprovante de renda e certidão de casamento. Vale para evitar aborrecimentos.

Tudo pronto? É só seguir viagem! Boa sorte!

Este artigo pode conter links comissionados para serviços e produtos de parceiros do Seguro Viagem Pro.
Compartilhe

Cláudia Zucare

Cláudia Zucare Boscoli trabalha como jornalista há 20 anos, tendo se formado na Cásper Líbero, com extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), especialização em Marketing Digital pela FGV e pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP. Já trabalhou para IstoÉ Online, O Estado de S. Paulo, Diário de S. Paulo e Editora Abril, entre outros veículos. Adora viajar, conhecer novas culturas e contar o que descobriu.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo